Avaliação do potencial para reciclagem agrícola dos ...

  • Doc File 2,812.50KByte



Avaliação do potencial para reciclagem agrícola dos biossólidos (lodos) provenientes de reatores (UASB seguido de filtro triplo anaeróbio) que tratam efluente hospitalar.

Bolsista: Walace Rodrigues da Silva

Nome em cit. bibliográficas: SILVA, Walace R.

Orientador(a): Dalton Marcondes Silva

Nome em cit. bibliográficas: SILVA, Dalton M.

Coorientador(a): Wilma de Carvalho Pereira

Nome em cit. bibliográficas: PEREIRA, Wilma C.

E-mail: ecalaw@.br

Unidade: ENSP

Departamento: DSSA

Lab. / Núcleo: MACROPOLUENTES

Evento: XIII Reunião Anual de Iniciação Científica

Resumo:

Os biossólidos são ricos em macronutrientes cálcio e fosforo e nos micronutrientes zinco e cobre,Essa característica é particularmente importante nos solos fixadores de fóforo,pois sua natureza organica protege o fosfato da oxidação,aumentando sua disponibilidade, reduzindo os custos com fertilizantes e corretivos, uma vezque torna os elementos já existentes mais acessíveis,diminuindo a acidez do solo.Os solos da região de Paracambi são classificados como argissolos (vermelho e amarelo)são ácidos .

Serão realizadas a coleta do material seguindo as normas de amostragem de solos da ABNT.NBR B6457/86 e para os biossólidos as amostras devem ser representativas,serão estudadas as característicasdos biossólidos com relação aos teores de matéria orgânica,concentrações de metais, pH e etc.

Metas operacionais:

1:realizar coleta do material-os lodos digeridos e secos produzidos na ETEem estudo;

2:Realizaçõa de análises laboratoriais do solo;

3:Montagem do experimento;

4:Montagem de um banco de dados e interpretação dos resultados;

5:Elaboração do relatório final;

Publicado ou submetido? não

Situação: Em execução

Palavras-chave:

1: SOLOS

2: BIOSSÓLIDOS

3: REATOR UASB

Título do projeto do orientador: Avaliação do potencial para reciclagem agrícola dos biossólidos (lodos) provenientes de reatores (UASB seguido de filtro triplo anaeróbio) que tratam efluente hospitalar.

Programa/projeto: CNPq - FIOCRUZ/PIBIC

Apoio financeiro: Não

Classificação do trabalho na Tabela de Áreas do Conhecimento do CNPq:

Grande Área: Ciências Agrárias    5.00.00.00-4

Área: Agronomia    5.01.00.00-9

Sub-Área: Ciência do Solo    5.01.01.00-5

Especialidade: Manejo e Conservação do Solo    5.01.01.06-4

Detecção de Organismos Geneticamente Modificados (OGM) em Alimentos

Aluno: Renata Trotta Barroso Ferreira

Nome em cit. bibliográficas: FERREIRA, Renata T. B.

Vínculo Institucional: Servidora

Tipo de Bolsa: Sem Bolsa

E-mail: rtrotta@incqs.fiocruz.br

Curso: Mestrado em Vigilância Sanitária

Ano de Ingresso: 2005

Orientador(a): Paola Cardarelli

Nome em cit. bibliográficas: CARDARELLI, Paola

Segundo(a) orientador(a):

Nome em cit. bibliográficas:

Pesquisador(a) Colaborador(a):

Nome em citações bibliográficas:

Área de Concentração: Ciência e Tecnologia de Alimentos

Evento: IX Jornada Científica da Pós-Graduação

Resumo:

As plantas transgênicas já fazem parte do nosso dia a dia e estão sendo comercializadas ou em fase  de teste no mundo inteiro. Novos eventos  de transformação estão ocorrendo em diversos laboratórios do mundo e os alimentos contendo organismos geneticamente modificados (OGM) já ocupam prateleiras em muitos supermercados. A soja tem sido amplamente consumida enquanto ingrediente em produtos processados como  embutidos, biscoitos, sucos, produtos cárneos, sopas, leites, farinhas, etc.

O Brasil regulamentou o plantio e a comercialização da soja geneticamente modificada, estabeleceu o limite de 1% para a informação no rótulo de produtos alimentícios que contenham ou sejam constituídos por OGM e criou o símbolo que deve constar na embalagem para produtos que encontram-se nesta situação.

A adequação dos produtos alimentícios à legislação  brasileira sobre os limites de OGM para rotulagem é baseada na sua detecção, identificação e quantificação.

Métodos  baseados  na PCR podem ser utilizados tanto em análises qualitativas como em quantitativas. A PCR em Tempo Real é utilizada na etapa de quantificação e baseia-se na atividade da exonuclease 5’-3’ da Taq DNA polimerase e na degradação específica de sondas (Princípio Taq Man).

Através da análise de 158 amostras, constatou-se a presença de soja RR, utilizando a técnica da Nested PCR,  em 48 amostras (30,3 %): 7 soja em grãos, 13 bebidas e pós para bebidas, 3 rações, 3 proteínas de soja, 6 sopas desidratadas, 6 produtos cárneos, 1 massa, 2 pós para preparo de alimentos, 4 plantas, 7 farinhas de trigo . A quantificação será realizada nestas amostras para verificação do cumprimento da legislação de rotulagem.

Palavras-chave:

1: OGM

2: soja RR

3: PCR

Apoio financeiro:

1: Fiocruz

2: Outros

3: ANVISA

Está inserido no PAPES 3? Não

Está inserido no PDTIS? Não

Está inserido no PDTSP? Não

Classificação do trabalho na Tabela de Áreas do Conhecimento do CNPq:

Grande Área: Ciências Agrárias    5.00.00.00-4

Área: Ciência e Tecnologia de Alimentos    5.07.00.00-6

Sub-Área: Ciência de Alimentos    5.07.01.00-2

Especialidade: Avaliação e Controle de Qualidade de Alimentos    5.07.01.06-1

Comparação da analgesia pós-operatória da morfina, cetoprofeno e morfina + cetoprofeno administrados antes ou após a ovariossalpingo-histerectomia em cães

Aluno: Fabio Otero Ascoli

Nome em cit. bibliográficas: ASCOLI, Fabio O.

Vínculo Institucional:

Tipo de Bolsa: FIOCRUZ

E-mail: fabioascoli@.br

Curso: Doutorado em Biologia Celular e Molecular

Ano de Ingresso: 2004

Orientador(a): Hugo Caire de Castro Faria Neto

Nome em cit. bibliográficas: CASTRO-FARIA-NETO, Hugo C.

Segundo(a) orientador(a):

Nome em cit. bibliográficas:

Pesquisador(a) Colaborador(a): João Henrique Neves Soares

Nome em citações bibliográficas: SOARES, João H. N.

Área de Concentração: Imunofarmacologia

Evento: IX Jornada Científica da Pós-Graduação

Resumo:

Nas últimas décadas, os médicos veterinários e seus clientes passaram a preocupar-se com a dor e seus efeitos adversos que interferem na qualidade de vida dos animais, modificando a abordagem na avaliação da dor ( Hellyer, 1999a). Segundo Gaynor (1999), a dor possui um papel de extrema importância na preservação da vida, porém respostas excerbadas podem causar morbidade e mortalidade.O objetivo deste estudo é comparar a analgesia pós-operatória em grupos de cães tratados com cetoprofeno, morfina e morfina + cetoprofeno antes ou após a ovariossalpingo-histerectomia e avaliar a relação entre a produção de mediadores inflamatórios e a dor pós-operatória. Serão utilizadas 60 cadelas de raças diferentes, hígidas, com peso compreendido entre 6 e 30 Kg e idade entre 1 e 5 anos. Em todos cães, a medicação pré-anestésica será realizada com acepromazina (0,02 mg.kg-1), a indução com tiopental (10 mg.kg-1) e a manutenção com halotano na concentração de 1,3%. Os animais serão divididos em seis grupos: Grupo I (cetoprofeno 2 mg.kg-1no pré-operatória), Grupo II (cetoprofeno 2 mg.kg-1no trans-operatória), Grupo III (morfina 0,5 mg.kg-1no pré-operatória), Grupo IV (morfina 0,5 mg.kg-1no trans-operatória), Grupo V (cetoprofeno 2 mg.kg-1+ morfina 0,5 mg.kg-1no pré-operatória) e Grupo VI (cetoprofeno 2 mg.kg-1+ morfina 0,5 mg.kg-1no trans-operatória). A dor pós-operatória será avaliada durante 48 horas (1, 2, 3, 4, 6, 8, 10, 12, 24, 36 e 48 horas)  utilizando a escala analógica visual e a escala da Universidade de Melbourne. Todas as avaliações serão filmadas para posterior análise por outros dois avaliadores. Tabém será coletada amostras de plasma nos períodos pré-operatório, 6, 12, 24 e 48 horas após a cirurgia para análise de óxido nítrico, prostaglandina E e cortisol.

Palavras-chave:

1: Analgesia

2: Mediadores inflamatórios

3: Cães

Apoio financeiro:

1: Fiocruz

2:

3: UFF

Está inserido no PAPES 3? Não

Está inserido no PDTIS? Não

Está inserido no PDTSP? Não

Classificação do trabalho na Tabela de Áreas do Conhecimento do CNPq:

Grande Área: Ciências Agrárias    5.00.00.00-4

Área: Medicina Veterinária    5.05.00.00-7

Sub-Área: Clínica e Cirurgia Animal    5.05.01.00-3

Especialidade: Anestesiologia Animal    5.05.01.01-1

Avaliação da ocorrência de leishmaniose tegumentar americana em cães e gatos domésticos, correlacionados aos casos humanos residentes em área endêmica na região do Mendanha, Município do Rio de Janeiro.

Aluno: Fabiano Borges Figueiredo

Nome em cit. bibliográficas: FIGUEIREDO, Fabiano B.

Vínculo Institucional: Mestrando

Tipo de Bolsa: CAPES

E-mail: fabiano@ipec.fiocruz.br

Curso: Mestrado em Pesquisa Clínica em Doenças Infecciosas

Ano de Ingresso: 2004

Orientador(a): Tânia Maria Pacheco Schubach

Nome em cit. bibliográficas: SCHUBACH, Tânia M. P.

Segundo(a) orientador(a): Armando de Oliveira Schubach

Nome em cit. bibliográficas: SCHUBACH, Armando O.

Pesquisador(a) Colaborador(a): Maria de Fátima Madeira

Nome em citações bibliográficas: MADEIRA, Maria F.

Área de Concentração: Doenças Infecciosas

Evento: IX Jornada Científica da Pós-Graduação

Resumo:

INTRODUÇÃO: No Estado do Rio de Janeiro, a leishmaniose tegumentar americana (LTA) causada por Leishmania (Viannia) braziliensis é endêmica. O padrão epidemiológico predominante de transmissão ocorre no intra e no peridomicílio, condicionada à adaptação de algumas espécies de flebotomíneos, em especial da Lutzomyia intermedia, ao meio ambiente modificado da periferia da cidade, acometendo seres humanos, cães e eqüinos. Embora animais domésticos sejam encontrados infectados por L. (V.) braziliensis em regiões com ocorrência de casos humanos, pouco se conhece sobre sua susceptibilidade à infecção e sobre os aspectos clínicos da doença nesses animais. OBJETIVO: Verificar a ocorrência de LTA em cães e gatos domésticos naturalmente infectados. METODOLOGIA: Foi realizada busca ativa de cães e gatos domésticos domiciliados e semidomiciliados em moradias de casos índices humanos de LTA, atendidos no Centro de Referência em Leishmanioses-IPEC entre 2002 e 2004, e seus vizinhos, residentes em região endêmica do município do Rio de Janeiro. Os animais foram submetidos a exame clínico e biópsias de lesão cutânea, para cultura, exame direto e histopatológico. RESULTADOS: Foram visitados 62 domicílios: 22 com casos humanos índices e 40 domicílios vizinhos, habitados por 248 pessoas, destas 34 com LTA atual ou passada. Foram examinados 52 cães sendo que 55,7% machos e 44,2% fêmeas. Lesões cutâneas sugestivas de LTA foram observadas em 51,9% dos cães e desses o diagnóstico parasitológico foi confirmado em 14 cães (51,9%). Foram examinados 42 gatos, sendo 52,4% machos e 47,6% fêmeas, dos quais cinco (11,9%) apresentavam lesões cutâneas. De três (7,1%) desses isolou-se L. (V.) braziliensis. No exame histopatológico pode-se visualizar formas amastigotas nos três felinos. CONCLUSÃO: Na área estudada, encontrou-se um elevado percentual de cães e gatos infectados. 

Palavras-chave:

1: leishmaniose tegumentar americana

2: cães

3: gatos

Apoio financeiro:

1: Fiocruz

2: Fiocruz

3:

Está inserido no PAPES 3? Não

Está inserido no PDTIS? Não

Está inserido no PDTSP? Não

Classificação do trabalho na Tabela de Áreas do Conhecimento do CNPq:

Grande Área: Ciências Agrárias    5.00.00.00-4

Área: Medicina Veterinária    5.05.00.00-7

Sub-Área: Medicina Veterinária Preventiva    5.05.02.00-0

Especialidade: Doenças Infecciosas de Animais    5.05.02.03-4

Estudo comparativo da virulência entre isolados de Sporothrix schenckii provenientes de gatos com esporotricose naturalmente adquirida.

Aluno: Luiz Rodrigo Paes Leme

Nome em cit. bibliográficas: PAES-LEME, Luiz R.

Vínculo Institucional: Bolsista

Tipo de Bolsa: CAPES

E-mail: luizleme@ipec.fiocruz.br

Curso: Mestrado em Pesquisa Clínica em Doenças Infecciosas

Ano de Ingresso: 2005

Orientador(a): Tânia Maria Pacheco Schubach

Nome em cit. bibliográficas: SCHUBACH, Tânia M. P.

Segundo(a) orientador(a): Cintia de Moraes Borba

Nome em cit. bibliográficas: BORBA, Cintia M.

Pesquisador(a) Colaborador(a):

Nome em citações bibliográficas:

Área de Concentração: Doenças infecciosas

Evento: IX Jornada Científica da Pós-Graduação

Resumo:

A Esporotricose é causada pelo fungo dimórfico Sporothrix schenckii. A infecção costuma ocorrer pela inoculação traumática de materiais contaminados, acometendo principalmente pessoas em contato com o solo e vegetais. Em 1952, Singer & Muncie sugeriram a possível transmissão da esporotricose felina ao homem e, atualmente, consideram-se proprietários, médicos veterinários e tratadores uma nova categoria de risco ocupacional, a qual eventualmente se infectam através do contato, da mordedura ou da arranhadura de gatos doentes. A partir de 1998 uma epidemia de esporotricose vem sendo identificada no Rio de Janeiro, onde o gato possui papel fundamental na transmissão desta micose. Pouco é conhecido sobre a susceptibilidade e resistência ao S. schenckii, e a virulência do S. schenckii tem sido alvo de investigações, tais como: capacidade de crescimento a 37o C, proporção de carboidratos (rhamnose/mannose) da parede celular, enzimas extracelulares (fosfatase), proteinases (proteinase I e proteinase II), produção de melanina e lipídios da parede celular. Em relação aos mecanismos de defesa do hospedeiro, estudos têm sugerido que a imunidade mediada celular desempenha um importante papel na proteção do hospedeiro contra este fungo. No presente estudo, a virulência de isolados do Rio de Janeiro e do Rio Grande do Sul será comparada em modelo murino, estudando-se as características morfológicas dos isolados, os sinais clínicos observados na progressão da doença nos camundongos, a sobrevivência dos camundongos, os aspectos histopatológicos e a verificação da presença de S. schenckii em diferentes sítios anatômicos. Através do presente estudo pretende-se verificar se eventuais diferenças na virulência observada em camundongos, de isolados de Sporothrix schenckii originados do Rio de Janeiro e do Rio Grande do Sul, que poderiam sugerir que fatores relacionados ao fungo possam explicar parcialmente a diferença de comportamento epidemiológico nas duas regiões geográficas.

Palavras-chave:

1: virulência

2: Sporothrix schenckii

3: gatos

Apoio financeiro:

1: Fiocruz

2: CAPES

3:

Está inserido no PAPES 3? Não

Está inserido no PDTIS? Não

Está inserido no PDTSP? Não

Classificação do trabalho na Tabela de Áreas do Conhecimento do CNPq:

Grande Área: Ciências Agrárias    5.00.00.00-4

Área: Medicina Veterinária    5.05.00.00-7

Sub-Área: Medicina Veterinária Preventiva    5.05.02.00-0

Especialidade: Doenças Infecciosas de Animais    5.05.02.03-4

Padronização da técnica de imunoperoxidase no diagnóstico da leishmaniose tegumentar americana canina

Aluno: Isabele Barbieri dos Santos

Nome em cit. bibliográficas: BARBIERI-DOS-SANTOS, Isabele

Vínculo Institucional: Bolsista

Tipo de Bolsa: CAPES

E-mail: isabele@ipec.fiocruz.br

Curso: Mestrado em Pesquisa Clínica em Doenças Infecciosas

Ano de Ingresso: 2005

Orientador(a): Tânia Maria Pacheco Schubach

Nome em cit. bibliográficas: SCHUBACH, Tânia M. P.

Segundo(a) orientador(a): Rogerio Tortelly

Nome em cit. bibliográficas: TORTELLY, Rogerio

Pesquisador(a) Colaborador(a): Leonardo Pereira Quintella

Nome em citações bibliográficas: QUINTELLA, Leonardo P.

Área de Concentração: Doenças Infecciosas

Evento: IX Jornada Científica da Pós-Graduação

Resumo:

A leishmaniose tegumentar americana (LTA) causada pela Leishmania (Viannia) braziliensis é endêmica no Estado do Rio de Janeiro. Nos cães se caracteriza pela presença de lesões cutâneas ulceradas localizadas principalmente nas orelhas, bolsa escrotal, focinho e membros. Na rotina, a confirmação do diagnóstico da LTA canina é realizada através da demonstração do agente etiológico, por meio do exame citopatológico, histopatológico ou da cultura de tecido. Entretanto, mesmo quando associados, estes métodos podem não detectar o parasito, devido a escassez de formas nas lesões de pele e das limitações das técnicas habituais de diagnóstico. É possível que a pesquisa de antígenos parasitários “in situ”, por meio da técnica de imunoperoxidase em cortes histológicos, possa contribuir como um método alternativo de diagnóstico. O método imunohistoquímico é particularmente sensível, pois detecta a presença de formas amastigotas e permite a visualização de padrões “celular” e/ou “vascular” e/ou “neural” para lesões ativas. O objetivo deste estudo é padronizar a reação de imunohistoquímica, pela técnica da imunoperoxidase com soro policlonal de coelho anti-Leishmania sp, no diagnóstico da LTA canina; descrever as alterações histopatológicas das lesões cutâneas; comparar a sensibilidade e a especificidade da imunohistoquímica com as técnicas de diagnóstico usuais; investigar a ocorrência de possíveis reações cruzadas com a esporotricose; descrever padrões “celular” e/ou “vascular” e/ou “neural” para lesões ativas de Leishmania sp; e implantar a técnica na rotina do Laboratório de Anatomia Patológica do IPEC. Serão utilizados 110 fragmentos conservados em formol tamponado 10%, de lesões cutâneas ulceradas de cães procedentes do Estado do Rio de Janeiro, que serão agrupados em 3 grupos. No grupo 1, serão incluídos 40 fragmentos de cães com LTA; no grupo 2, 40 fragmentos de cães com esporotricose; e  no grupo 3 (grupo controle), 30 fragmentos de cães com neoplasias. Estes fragmentos serão submetidos a exame histopatológico corados pela hematoxilina-eosina e outras colorações especiais, se necessárias e imunohistoquímico.

Palavras-chave:

1: Leishmaniose tegumentar americana

2: Cão

3: Imunohistoquímica

Apoio financeiro:

1: Fiocruz

2: CAPES

3:

Está inserido no PAPES 3? Não

Está inserido no PDTIS? Não

Está inserido no PDTSP? Não

Classificação do trabalho na Tabela de Áreas do Conhecimento do CNPq:

Grande Área: Ciências Agrárias    5.00.00.00-4

Área: Medicina Veterinária    5.05.00.00-7

Sub-Área: Medicina Veterinária Preventiva    5.05.02.00-0

Especialidade: Doenças Parasitárias de Animais    5.05.02.04-2

Verificação da presença de formas amastigotas e de antígenos de Leishmania em cortes histológicos de cicatrizes cutâneas e de pele sadia de pacientes com leishmaniose tegumentar americana.

Bolsista: Luisa Helena Monteiro de Miranda

Nome em cit. bibliográficas: MIRANDA, Luisa H. M.

Orientador(a): Armando de Oliveira Schubach

Nome em cit. bibliográficas: SCHUBACH, Armando O.

Coorientador(a): Leonardo Pereira Quintella

Nome em cit. bibliográficas: QUINTELLA, Leonardo P.

E-mail: luisahmiranda@.br

Unidade: IPEC

Departamento: Doenças Infecciosas

Lab. / Núcleo: Serviço de zoonoses

Evento: XIII Reunião Anual de Iniciação Científica

Resumo:

INTRODUÇÃO: A leishmaniose tegumentar americana (LTA) se apresenta com úlceras cutâneas que, tratadas ou não, evoluem para cicatrização em meses ou até anos. Relatos de reativação sugerem a persistência do parasita. O diagnóstico depende da demonstração parasitológica e a técnica de imunoperoxidase é uma alternativa sensível. Em lesões ativas este método é capaz de detectar a presença das formas amastigotas e de marcar o citoplasma de células fagocitárias, endoteliais e neurais da derme. Em tecido cicatricial, foi descrita a marcação de células fagocitárias e endoteliais, mas não de formas amastigotas. OBJETIVO: Verificar, pela técnica de imunoperoxidase, a presença de formas amastigotas e de antígenos de Leishmania em lesões ativas, cicatrizes cutâneas e pele sadia de pacientes com LTA. MATERIAL E MÉTODOS: De fevereiro a junho de 2005, cortes histológicos de 20 lesões ativas suspeitas de LTA foram examinados em hematoxilina-eosina (HE). Novos cortes do mesmo material foram utilizados na padronização da reação de imunohistoquímica (IHQ). A IHQ foi realizada com inibição da peroxidase endógena por solução de metanol e peróxido de hidrogênio em água destilada, recuperação antigênica em panela de vapor com tampão citrato e bloqueio de ligações inespecíficas com solução de leite em pó com albumina bovina. Os cortes foram incubados em câmara úmida "overnight" a 4°C com soro imune de coelhos anti-Leishmania (Leishmania) chagasi, na diluição de 1:400. O complexo avidina-biotina foi empregado como sistema de detecção. A revelação foi realizada com diaminobenzidina. Como controle positivo, foram utilizados casos com numerosas amastigotas vistas na HE. RESULTADOS: Na coloração pela HE, 5 casos (25%) foram positivos. A IHQ foi positiva em 10 casos (50%), aí incluídos todos os 5 casos positivos na HE.CONCLUSÃO: A reação de IHQ foi mais sensível que a coloração pela HE na detecção de amastigotas nas lesões ativas estudadas, podendo eventualmente ser útil para este fim em lesões cicatrizadas e pele sadia. A avaliação da marcação em células mononucleares, endoteliais e neurais e o estudo de lesões cicatrizadas e pele sadia serão etapas subsecutivas do projeto.

Publicado ou submetido? não

Situação: Em execução

Palavras-chave:

1: Leishmaniose tegumentar americana

2: Imunohistoquímica

3: Cicatriz

Título do projeto do orientador: Avaliação da persistência do parasito em pacientes de leishmaniose tegumentar americana e correlações epidemiológicas.

Programa/projeto: CNPq - FIOCRUZ/PIBIC

Apoio financeiro: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Classificação do trabalho na Tabela de Áreas do Conhecimento do CNPq:

Grande Área: Ciências Agrárias    5.00.00.00-4

Área: Medicina Veterinária    5.05.00.00-7

Sub-Área: Medicina Veterinária Preventiva    5.05.02.00-0

Especialidade: Doenças Parasitárias de Animais    5.05.02.04-2

Tripanossoma cruzi em Thrichomys apereoides e Thrychomys pachyurus: estudo anátomo-patológico da infecção experimental.

Bolsista: Natashia Moraes Barbosa

Nome em cit. bibliográficas: BARBOSA, Natashia M.

Orientador(a): Ana Maria Jansen-Franken

Nome em cit. bibliográficas: JANSEN-FRANKEN, Ana M.

Coorientador(a): Gisele Braziliano de Andrade

Nome em cit. bibliográficas: ANDRADE, Gisele B.

E-mail: natashia_mb@

Unidade: IOC

Departamento: Protozoologia

Lab. / Núcleo: Biologia de Tripanossomatídeos

Evento: XIII Reunião Anual de Iniciação Científica

Resumo:

T. cruzi é um parasita digenético que possui um complexo ciclo de transmissão. Pouco ainda se sabe  sobre as particularidades da interação deste parasita com seus hospedeiros silvestres. Por isso, foram selecionados para o presente estudo roedores caviomorfos silvestres do gênero Thricmomys, cujos ancestrais foram um dos mais antigos hospedeiros de T. cruzi. Este gênero representa espécies abundantes, de alta distribuição geográfica e alta prevalência para infecção por T. cruzi. T. apereoides e T. pachyurus são espécies crípticas de regiões endêmica (Piauí) e não endêmica (Pantanal) da Doença de Chagas, respectivamente. O objetivo deste trabalho foi determinar e comparar o padrão histopatológico nas espécies crípticas T. apereoides e T. pachyurus, durante a fase sub-patente da infecção por diferentes cepas de T. cruzi. A infecção foi realizada com os isolados de T. cruzi: (i) Y - isolado humano (referência); (ii) R4 - isolado  de T. apereoides (PI) naturalmente infectado; (iii) FRN38 - isolado de T. pachyurus (MS) naturalmente infectado. Os animais foram mortos na fase sub-patente (150 dias de infecção), exceto um que morreu na fase patente (17 dias). Diversos órgãos foram corados com Hematoxilina Eosina. Para avaliação mais detalhada das lesões no coração, órgão mais lesionado, foram utilizadas as seguintes colorações especiais: Giemsa de Lennert para caracterização celular; Tricrômico de Masson para evidenciação de tecido conjuntivo; e Picrosíruis para caracterização de fibras colágenas. Os resultados mostraram que T. apereoides foi mais resistente às cepas de T. cruzi que T. pachyurus; das cepas, R4 foi a cepa mais patogênica e FRN38, a menos patogênica. O coração foi o órgão mais lesionado. Thrichomys sp apresentou padrão de lesão semelhante ao homem e a outros mamíferos.Thrichomys sp apresentou como possível peculiaridade quanto à cinética da fibrose a presença expressiva de mastócitos no infiltrado inflamatório e tecido conjuntivo. As espécies crípticas apresentam sensibilidades distintas à infecção por T. cruzi, o que sugere que desempenham diferentes papéis, quanto hospedeiros, no ciclo de transmissão do T. cruzi.

 

 

            

Publicado ou submetido? não

Situação: Em execução

Palavras-chave:

1: Tripanosoma cruzi

2: Patologia Animal

3: Animais silvestres

Título do projeto do orientador: Tripanosoma cruzi em Thrichomys apereoides e Thrichomys pachyurus (Caviomorpha, Echimyidae): infecção experimental e natural em biomas distintos.

Programa/projeto: Edital IC - CNPq 05/2004

Apoio financeiro: Fiocruz e UFRRJ

Classificação do trabalho na Tabela de Áreas do Conhecimento do CNPq:

Grande Área: Ciências Agrárias    5.00.00.00-4

Área: Medicina Veterinária    5.05.00.00-7

Sub-Área: Patologia Animal    5.05.03.00-6

Especialidade: Anatomia Patologia Animal    5.05.03.02-2

Implantação do Banco de Embriões do Biotério do CPqGM e Transferência do “Status” Sanitário do Biotério de Convencional Controlado para SPF.

Bolsista: Cristina Aragão Silva

Nome em cit. bibliográficas: ARAGÃO, Cristina S.

Orientador(a): Ricardo Ribeiro dos Santos

Nome em cit. bibliográficas: SANTOS, Ricardo R.

Coorientador(a): Vitor Valério Maffili

Nome em cit. bibliográficas: MAFFILI, Vitor V.

E-mail: cristinaaragaosilva@.br

Unidade: CPqGM

Departamento: BIOTERIO

Lab. / Núcleo: BIOTERIO

Evento: XIII Reunião Anual de Iniciação Científica

Resumo:

Ojetivou-se comparar o desenvolvimento in vitro de embriões de camundongos wild type (wt) C57Bl/6 e linhagens transgênica em background C57Bl/6, após o cultivo. No presente foram utilizados embriões das linhagens C57Bl/6 wt (T1) e dos seguintes transgênicos: C57Bl/6 iNOStm1Plh (T2), C57Bl/6 Ifngr1tm1Agt (T3), C57Bl/6 GFP (T4), C57Bl/6 Gt(ROSA)26Sortm1Ts (T5), C57Bl/6 Tnfrsf1atm1Imx (T6), C57Bl/6 Cd28tm1Mak (T7), C57Bl/l Il10tm1Cgn (T8) e C57Bl/6 β2mtm1Unc (T9). As fêmeas foram superovuladas com 5UI de eCG e 5UI de hCG. Logo após a aplicação da hCG, as fêmeas foram acasaladas com os machos na proporção de 1:1 e retiradas no dia seguinte. A coleta dos embriões se deu 38 horas após a aplicação da hCG. Os embriões foram obtidos por lavagem da tuba uterina com meio M2 e os embriões obtidos foram selecionados e classificados. Os embriões considerados como viáveis foram colocados em solução crioprotetora (1,5M de propilenoglicol em meio M2) por 15 minutos e congelados conforme preconizado por RENARD, J.P.; BALBINET, C.; J. Exp. Zoo., 230-443, 1984. O descongelamento foi realizado retirando-se a palheta do botijão e deixando-a exposta à temperatura ambiente por 40 segundos. Em seguida, o conteúdo da palheta foi expelido numa placa de petri de 35mm e deixado por 5 minutos. Após este período, os embriões foram transferidos para uma placa contendo meio M2 e posteriormente cultivados em meio M16 por 72 horas em estufa de CO2. Foi verificada a taxa de desenvolvimento até o estádio de blastocisto eclodido. A verificação da taxa de desenvolvimento até o estádio de blastocisto foi realizada por meio do confronto de dados em tabela de contingência e utilizado o teste do qui-quadrado em nível de 5% de probabilidade. As taxas de eclosão foram de: T1 = 41/66 (62,1%)a; T2 = 20/37 (54,4%)a,b; T3 = 20/47 (42,5%)b,c; T4 = 30/55 (54,6%)a,c,d,e; T5 = 25/44 (56,8%)a,c; T6 = 33/51 (64,7%)a; T7 = 18/38 (47,4%)b,d; T8 = 21/59 (35,6%)b,e,f e T9 = 8/42 (19,0%)f. De forma geral, embriões de linhagens transgênicas apresentaram menores taxas de desenvolvimento in vitro. Contudo, os fatores envolvidos nessa redução ainda carecem de esclarecimentos.

Publicado ou submetido? não

Situação: Em execução

Palavras-chave:

1: camundongo

2: embrião

3: cultivo

Título do projeto do orientador: Banco de Embriões de Camundongos Geneticamente Modificados

Programa/projeto: CNPq - FIOCRUZ/PIBIC

Apoio financeiro: FINEP

Classificação do trabalho na Tabela de Áreas do Conhecimento do CNPq:

Grande Área: Ciências Agrárias    5.00.00.00-4

Área: Medicina Veterinária    5.05.00.00-7

Sub-Área: Reprodução Animal    5.05.04.00-2

Especialidade: Ginecologia e Andrologia Animal    5.05.04.01-0

Prostaglandina E2 promove a perda da adesão célula-célula em um modelo de adenocarcinoma de cólon humano.

Aluno: Marcelo Neves Tanaka

Nome em cit. bibliográficas: TANAKA, Marcelo N.

Vínculo Institucional: Mestrando

Tipo de Bolsa: CNPq

E-mail: tanaka@ioc.fiocruz.br

Curso: Mestrado em Biologia Celular e Molecular

Ano de Ingresso: 2004

Orientador(a): José Andres Morgado Díaz

Nome em cit. bibliográficas: MORGADO-DÍAZ, José A.

Segundo(a) orientador(a): Maurílio José Soares

Nome em cit. bibliográficas: SOARES, Maurilio J.

Pesquisador(a) Colaborador(a): Bruno Lourenço Díaz

Nome em citações bibliográficas: DÍAZ, Bruno L.

Área de Concentração: Biologia Celular

Evento: IX Jornada Científica da Pós-Graduação

Resumo:

Células epiteliais interagem entre si através do complexo juncional (CJ), formado pelas junções tight (JT) e pelas  junções aderentes (JA) responsáveis por manter a integridade dos tecidos. Esses complexos não somente medeiam a adesão célula-célula, mas são também responsáveis pela transdução de sinais que controlam o crescimento e a diferenciação celular. Trabalhos têm mostrado que diferentes vias de sinalização são afetadas durante a transformação maligna do epitélio. No entanto, esses mecanismos ainda são pouco entendidos. Sabendo que em adenocarcinoma coloretal a enzima ciclooxigenase-2 (COX-2) é superexpressa exercendo uma importante função na promoção tumoral e que a prostaglandina E2 (PGE2), maior produto de ação desta enzima sobre o ácido aracdônico, podendo induzir crescimento, migração e invasividade, neste trabalho, nos investigamos os efeitos do tratamento da PGE2 no CJ de uma linhagem de células derivadas de adenocarcinoma de cólon humano, Caco-2. Essas células foram plaqueadas em filtros transwell até atingir confluência, logo tratadas com 0,1μM e 1μM de PGE2 por 30 e 60 minutos. O fluxo para-celular de íons foi analisado medindo a resistência elétrica transepitelial (TER). As amostras dos respectivos tratamentos foram também processadas para microscopia eletrônica de transmissão (MET). Nossos resultados mostraram que células tratadas por 1h com PGE2 (0,1μM e 1μM) apresentaram diminuição na TER aproximadamente em 49% das células tratadas com 0,1μM e 61% com 1μM de PGE2, entretanto a TER foi parcialmente recuperada quando substituida por meio normal depois de 24h. Quando a monocamada de células foi analisada por MET, foi possível observar largos espaços na região das JAs, em células tratadas por 1h em relação a células não tratadas, que apresentaram um CJ bem definido, no entanto as JTs aparentemente permaneceram preservadas. O presente estudo mostra que PGE2 causou alterações no CJ, levando a distúrbios na permeabilidade para-celular a íons e perda no contato célula-célula. Mais experimentos estão em andamento para identificar as vias de sinalização envolvidas nesse evento e determinar outras funções deste prostanóide em câncer de cólon.

Palavras-chave:

1: Prostaglandina E2

2: adesão célula-célula

3: Caco-2

Apoio financeiro:

1: CNPq

2:

3: INCA e FAF

Está inserido no PAPES 3? Não

Está inserido no PDTIS? Não

Está inserido no PDTSP? Não

Classificação do trabalho na Tabela de Áreas do Conhecimento do CNPq:

Grande Área: Ciências Biológicas    2.00.00.00-6

Área: Biofísica    2.09.00.00-7

Sub-Área: Biofísica Celular    2.09.02.00-0

Especialidade:   

Laser de baixa potência e cicatrização de ferimentos contaminados com sílica.

Aluno: Alena Ribeiro Alves Peixoto Medrado

Nome em cit. bibliográficas: MEDRADO, Alena R. A. P.

Vínculo Institucional: Doutoranda

Tipo de Bolsa: Sem Bolsa

E-mail: alena@cpqgm.fiocruz.br

Curso: CPqGM - Doutorado em Patologia

Ano de Ingresso: 2003

Orientador(a): Zilton Araújo Andrade

Nome em cit. bibliográficas: ANDRADE, Zilton A.

Segundo(a) orientador(a):

Nome em cit. bibliográficas:

Pesquisador(a) Colaborador(a):

Nome em citações bibliográficas:

Área de Concentração: Patologia Geral

Evento: IX Jornada Científica da Pós-Graduação

Resumo:

Os raios laser têm efeitos biológicos sobre os tecidos vivos. A laserterapia pode modular a resposta tecidual durante a cicatrização de ferimentos, principalmente atenuando o edema e a dor. O raio laser de baixa potência pode promover um incremento na síntese de colágeno tanto quantitativa quanto qualitativamente, bem como na orientação espacial das fibras, acelerando o amadurecimento do tecido cicatricial. Para melhor estudar estes aspectos foi planejado o presente trabalho, que utilizou um modelo de ferimento padronizado na pele de rato, o qual foi contaminado com sílica, para que a formação do tecido fibroso fosse estimulada. Foi dada ênfase à ação do laser sobre o padrão organizacional das fibras colágenas. Oitenta e quatro ratos Wistar, em três grupos experimentais, foram anestesiados para a realização de um ferimento cutâneo padronizado com 8,0 mm de diâmetro. No grupo controle a sílica e o laser não foram usados; no segundo grupo, o ferimento foi contaminado com 0,2 ml de sílica a 1%, ao passo que no terceiro, em adição à sílica, foi realizado tratmento com laser de arseneto de gálio e alumínio (LASER VR- KC- 610; potência contínua de 9 mW; comprimento de onda de 670 nm), utilizando-se  a dosimetria de 4 J/cm2.

A análise histológica foi feita após 72 horas, 7, 10, 15, 21 e 30 dias. Os tecidos foram analisados pelos seguintes métodos: Histopatologia: hematoxilina-eosina e picro-sírius para colágeno; Imuno-histoquímica: anticorpos anti-desmina e anti-actina alfa de músculo liso e Imunofluorescência: colágenos tipo I e III, fibronectina e laminina. Os resultados foram submetidos à análise estatística. Resultados preliminares: Após 72 horas os animais tratados com laser mostraram redução do edema e do infiltrado inflamatório. A sílica acentuou a produção de colágeno e induziu reação granulomatosa na derme. No grupo tratado com laser, as lesões granulomatosas apareceram mais cedo, no décimo dia, e as fibras colágenas apareceram mais organizadas, lineares e paralelas. Não foram observadas alterações significativas com relação à espessura destas fibras.

Palavras-chave:

1: Laser

2: Cicatrização cutânea

3: Sílica

Apoio financeiro:

1: PAPES

2:

3:

Está inserido no PAPES 3? Não

Está inserido no PDTIS? Não

Está inserido no PDTSP? Não

Classificação do trabalho na Tabela de Áreas do Conhecimento do CNPq:

Grande Área: Ciências Biológicas    2.00.00.00-6

Área: Biologia Geral    2.01.00.00-0

Sub-Área:   

Especialidade:   

Estudo protéico da saliva de Lutzomyia longipalpis (Lutz & Neiva, 1912) (Diptera: Phlebotominae), vetor da Leismaniose Visceral.

Bolsista: Aline Rodrigues Soares

Nome em cit. bibliográficas: SOARES, Aline R.

Orientador(a): Aldina Barral

Nome em cit. bibliográficas: BARRAL, Aldina

Coorientador(a): José Carlos Miranda

Nome em cit. bibliográficas: MIRANDA, José C.

E-mail: allinesoares@.br

Unidade: CPqGM

Departamento: Imunologia

Lab. / Núcleo: Laboratório de Imunoparasitologia

Evento: XIII Reunião Anual de Iniciação Científica

Resumo:

Os flebotomíneos são insetos que transmissores das leishmanioses, doenças parasitárias causadas por protozoários do gênero Leishmania. A manutenção de uma colônia de flebotomíneos é importante para o estudo da biologia desses insetos e da biologia da Leishmania. Além disso, a sua saliva desempenha papel fundamental na fisiologia durante a ingestão do sangue e é um elo importante na interação hospedeiro-vetor-parasito. Este trabalho teve como objetivo a colonização de flebotomíneos em laboratório e obtenção da glândula salivar das fêmeas para estudo do perfil protéico. Para a colonização de Lutzomyia longipalpis foram realizadas capturas mensais de flebótomos no distrito de Cavunge (Bahia), utilizando armadilhas do tipo CDC. Os flebotomíneos chegados do campo foram alimentados em hamsters. Após a hematofagia, as fêmeas foram mantidas em dieta de solução açucarada para realização da oviposição.  Num período de quatro a quinze dias, os ovos eclodiram e emergiram as larvas de primeiro estágio. Essas larvas foram alimentadas de ração composta de 4% de terra vegetal, 4% de fezes de coelho e 10% de ração para peixe. Após os quatro estágios larvais, se transformaram em pupas. Os adultos emergidos das pupas foram transferidos para gaiolas e mantidos com dieta açucarada e umidade. Novamente foi realizada uma alimentação sanguínea para gerações seguintes. Foi analisado o conteúdo e o perfil protéico da glândula salivar de fêmeas de L. longipalpis em jejum e alimentadas com sangue em diferentes dias. Nossos resultados mostram que a criação de flebótomos é viável em laboratório. Normalmente ocorre uma diminuição na produção dos flebótomos da colônia devido ao uso constante de fêmeas para extração de glândulas salivares. A presença de fungos, ácaros e microfilárias na colônia também afetam a produção. Por esses motivos é importante a introdução de flebótomos do campo na colônia periodicamente. Foi visto também que o conteúdo protéico da glândula salivar de fêmeas em jejum aumentou no terceiro dia após a emergência do adulto, não variando muito até o sétimo dia e que um dia após a alimentação sanguínea, diminuiu, porém essa concentração aumentou nos dias subseqüentes.

Publicado ou submetido? não

Situação: Em execução

Palavras-chave:

1: flebótomo

2: Lutzomyia longipalpis

3: glândula salivar

Título do projeto do orientador: Estudo protéico da saliva de Lutzomyia longipalpis (Lutz & Neiva) (Diptera: Phlebotominae) e o efeito da seus extratos utilizando o modelo de bolsão inflamatório.

Programa/projeto: CNPq - FIOCRUZ/PIBIC

Apoio financeiro:

Classificação do trabalho na Tabela de Áreas do Conhecimento do CNPq:

Grande Área: Ciências Biológicas    2.00.00.00-6

Área: Biologia Geral    2.01.00.00-0

Sub-Área:   

Especialidade:   

BIOATIVIDADE DE PRODUTOS NATURAIS ISOLADOS DE PLANTAS SOBRE A FISIOLOGIA DE Chrysomya megacephala (Fabricius 1794)(Diptera: Calliphoridae).

Aluno: Camila Diniz Ribeiro Nogueira

Nome em cit. bibliográficas: NOGUEIRA, Camila D. R.

Vínculo Institucional: Fiocruz

Tipo de Bolsa: CAPES

E-mail: camiladrn@.br

Curso: Mestrado em Biologia Parasitária

Ano de Ingresso: 2005

Orientador(a): Marise Maleck de Oliveira Cabral

Nome em cit. bibliográficas: CABRAL, Marise M. O.

Segundo(a) orientador(a): Rubens Pinto de Mello

Nome em cit. bibliográficas: MELLO, Rubens P.

Pesquisador(a) Colaborador(a): Margareth Maria de Carvalho Queiroz

Nome em citações bibliográficas: QUEIROZ, Margareth M. C.

Área de Concentração: Entomologia

Evento: IX Jornada Científica da Pós-Graduação

Resumo:

O controle químico de insetos em ambiente urbano é dificultado devido ao perigo de contaminação do homem, animais e ambiente. A pressão ambiental e o rápido desenvolvimento da resistência dos insetos pelos inseticidas convencionais têm promovido uma procura por novos métodos de controle de pestes. As plantas têm produzido, em conseqüência da evolução e adaptação do ambiente, uma variedade de substâncias bioativas importantes que interferem no comportamento dos insetos, incluindo a regulação do crescimento de insetos, o impedimento da alimentação e repelência, atividade inseticida e outras. Chrysomya megacephala é uma espécie de mosca varejeira de grande importância médico-sanitária e veterinária, que pode causar miíases secundárias, servir de vetor do poliovírus tipo III, Salmonella sp., Shiguella sp. e também ser transmissora de Toxoplasma gondii, além de outros patógenos causadores de doenças nos animais e no homem. Este estudo pretende verificar a ação de produtos naturais isolados de plantas, que possam alterar o desenvolvimento do ciclo biológico e modificar a capacidade vetorial dos dípteros muscóides na transmissão de doenças ao homem. As substâncias isoladas de plantas serão dissolvidas em acetona, diluídas em NaCl (1:4) e avaliadas nas diferentes concentrações, de acordo com a bioatividade encontrada. As drogas serão utilizadas por tratamento tópico sobre o corpo das larvas L1 ou na massa de ovos. No tratamento por contato serão aplicadas sobre papel de filtro umedecido (NaCl) revestindo as placas de Petri. E no tratamento oral serão misturadas à dieta artificial ou à dieta de carne bovina moída putrefata na proporção 1g/larva. As colônias serão estabelecidas a partir de adultos de Chrysomya megacephala, coletados no Município de Seropédica, RJ, que serão mantidos no laboratório de controle de insetos vetores, do departamento de Biologia/FIOCRUZ. Todas as etapas serão realizadas em condições de laboratório, à temperatura de 27±1oC, 60±10% URA. As moscas serão observadas quanto à longevidade, mortalidade e potencial biótico. E os resultados analisados através de análises estatísticas: ANOVA e teste de Tuckey.

Palavras-chave:

1: Chrysomya megacephala

2: Produtos Naturais

3: Dipteros muscóides

Apoio financeiro:

1: Fiocruz

2: Fiocruz

3:

Está inserido no PAPES 3? Não

Está inserido no PDTIS? Não

Está inserido no PDTSP? Não

Classificação do trabalho na Tabela de Áreas do Conhecimento do CNPq:

Grande Área: Ciências Biológicas    2.00.00.00-6

Área: Biologia Geral    2.01.00.00-0

Sub-Área:   

Especialidade:   

Caracterização da resposta granulomatosa contra Leishmania (Viannia) braziliensis no modelo rhesus (Macaca mullatta) da leishmaniose tegumentar humana.

Aluno: Camila Souza Lemos

Nome em cit. bibliográficas: SOUZA-LEMOS, Camila

Vínculo Institucional:

Tipo de Bolsa: FIOCRUZ

E-mail: cslemos@ioc.fiocruz.br

Curso: Mestrado em Biologia Celular e Molecular

Ano de Ingresso: 1998

Orientador(a): Gabriel Grimaldi Júnior

Nome em cit. bibliográficas: GRIMALDI-JÚNIOR, Gabriel

Segundo(a) orientador(a): Renato Porrozzi

Nome em cit. bibliográficas: PORROZZI, Renato

Pesquisador(a) Colaborador(a):

Nome em citações bibliográficas:

Área de Concentração: Imunologia

Evento: IX Jornada Científica da Pós-Graduação

Resumo:

A evolução clínico-patológica da leishmaniose tegumentar (LT) reflete, em última análise,  as respostas inatas e adaptativas do hospedeiro infectado, influenciando assim a natureza da resposta inflamatória (no caso, refletida nos tipos de células inflamatórias recrutadas e suas interações celulares no sítio das lesões) responsável, seja pela manutenção ou resolução das lesões.  A resistência ou susceptibilidade imunológica do hospedeiro está associada com  respostas específicas mediadas por linfócitos seja de tipo Th1 (IL-2, IFNγ) ou Th2 (IL-4, IL-5, IL-10), respectivamente. Em estudo recente [Parasitology 2003, 127: 437-447],  registramos a capacidade do primata Macaca mulatta de reproduzir a doença cutâneo-mucosa humana causada pela L. (V.) braziliensis. Em outro estudo (Mem. Inst. Oswaldo Cruz 2000, 95: 209-216), demonstramos que os tipos de células inflamatórias presentes em lesões cutâneas induzidas pela L. (L.) major em macacos rhesus são similares ao observado na LT humana, variando também no decurso da infecção. Neste estudo, examinamos o decurso da resposta granulomatosa contra L. (V.) braziliensis em macacos rhesus, procurando estudar com ênfase especial o papel das moléculas de adesão na cinética de recrutamento celular no sítio das lesões. A comparação dos dados com a resposta imune sistêmica permitirá entender a dinâmica e a inter-relação destes compartimentos e, assim, estabelecer parâmetros predicativos de resistência imune contra a doença.

Objetivos específicos:

1. Com estudos morfológicos seqüenciais (usando microscopia ótica, ultraestrutural e imunohistoquímica) caracterizar (i) as populações celulares e (ii) a expressão de moléculas de adesão [LFA-1, ICAM-1, Mac-1, L-selectina] componentes do processo inflamatório reacional à presença de Leishmania (Viannia) braziliensis na lesão cutânea induzida experimentalmente em macacos rhesus.

2. Em diferentes fases evolutivas da infecção experimental, determinar os níveis de expressão de citocinas (e de seus receptores específicos) em (i) leucócitos circulantes, (ii) em populações celulares isoladas de linfonodos de drenagem e  (iii) diretamente nas lesões tegumentares dos animais experimentais.

Palavras-chave:

1: Leishmaniose experimental (Macaca mulatta)

2: Leishmania (Viannia) braziliensis

3: Imunopatologia

Apoio financeiro:

1: PRONEX

2: Fiocruz

3: Melina and Bill Gates Foundation

Está inserido no PAPES 3? Não

Está inserido no PDTIS? Não

Está inserido no PDTSP? Não

Classificação do trabalho na Tabela de Áreas do Conhecimento do CNPq:

Grande Área: Ciências Biológicas    2.00.00.00-6

Área: Biologia Geral    2.01.00.00-0

Sub-Área:   

Especialidade:   

Avaliação do efeito da poluição na Baía de Guanabara usando Hidrocarbonetos Policíclicos Aromáticos em bile de peixes.

Aluno: Carla de Albuquerque

Nome em cit. bibliográficas: ALBUQUERQUE, Carla

Vínculo Institucional: Mestanda

Tipo de Bolsa: CAPES

E-mail: carla.bio@ensp.fiocruz.br

Curso: ENSP - Mestrado em Saúde Pública

Ano de Ingresso: 2005

Orientador(a): Ana Rosa Linde Arias

Nome em cit. bibliográficas: LINDE-ARIAS, Ana R.

Segundo(a) orientador(a):

Nome em cit. bibliográficas:

Pesquisador(a) Colaborador(a):

Nome em citações bibliográficas:

Área de Concentração: Toxicologia Ambiental e Ocupacional

Evento: IX Jornada Científica da Pós-Graduação

Resumo:

Os Hidrocarbonetos Policiclicos Aromáticos (PAHs), são substâncias altamente lipofílicas e que estão presentes na atmosfera, na água, no solo, em plantas, assim como em animais e em seus produtos. Os PAHs presente em quase todos os ambientes marinhos são derivados da poluição petroquímica e do processo de combustão incompleta, sendo formados pela pirólise do carbono ou do petróleo e de outros processos como a eletrólise. O processo de biotransformação dos PAHs resultam em metabólitos que se concentram em fluidos do corpo, tecidos e excretas, além do meio ambiente. Estas substâncias merecem grande atenção, pois são compostos que têm características carcinogênicas, mutagênicas e teratogênicas. A área de estudo foi a Baía de Guanabara (BG), cuja região tem grande índice de despejo de inúmeras substâncias tóxicas, inclusive de PAHs, pois é uma área que envolve resíduos industriais e domésticos Neste estudo serão analisados metabólitos de PAHs em bile de peixes, como bioindicadores de efeito da poluição por esses compostos nos seres vivos que habitam esse ecossistema aquático. Serão coletadas várias espécies de peixes que permitam diferenciar os níveis de exposição. O arrasto será feito em diferentes pontos da BG com distintos níveis de poluição. As amostras serão levadas para o laboratório para análise dos parâmetros biológicos, sacrificados para a retirada das biles. As analises de PAHs e seus metabótitos serão realizadas por fluorimetria sincronizada; método que possui uma grande sensibilidade e reduz erros experimentais, além de ser uma técnica simples, rápida e adequada para uma rotina de monitoramento de poluentes orgânicos.

Palavras-chave:

1: Hidrocarbonetos Policíclicos Aromáticos

2: Baía de Guanabara

3: Fluorimetria Sincronizada

Apoio financeiro:

1: CAPES

2:

3:

Está inserido no PAPES 3? Não

Está inserido no PDTIS? Não

Está inserido no PDTSP? Não

Classificação do trabalho na Tabela de Áreas do Conhecimento do CNPq:

Grande Área: Ciências Biológicas    2.00.00.00-6

Área: Biologia Geral    2.01.00.00-0

Sub-Área:   

Especialidade:   

Effects of azadirachtin on the biology of Lutzomyia longipalpis females, vector of visceral leishmaniases in Brazil

Aluno: Claudia Alves de Andrade Coelho

Nome em cit. bibliográficas: ANDRADE-COELHO, Claudia A.

Vínculo Institucional: CNPq

Tipo de Bolsa: CNPq

E-mail: rabbit@ioc.fiocruz.br

Curso: Doutorado em Biologia Parasitária

Ano de Ingresso: 2003

Orientador(a): Elizabeth Ferreira Rangel

Nome em cit. bibliográficas: RANGEL, Elizabeth F.

Segundo(a) orientador(a): Marcelo Salabert Gonzalez

Nome em cit. bibliográficas: GONZALEZ, Marcelo S.

Pesquisador(a) Colaborador(a): Nataly Araujo de Souza

Nome em citações bibliográficas: SOUZA, Nataly A.

Área de Concentração: Vetores

Evento: IX Jornada Científica da Pós-Graduação

Resumo:

 

The triterpenoid azadirachtin (AZA), isolated from seeds of the neem tree (Azadirachta indica) (Fig. 1), is known as a compound with antifeedant properties, leading to high mortality and interrupting the growth of insects and nematodes; it is thus considered efficient in controlling agricultural pests, with no apparent toxicity to vertebrates (Wathen 1979, Jacobson 1986, Rembold 1987, 1989).

Research has focused on the impact of applying AZA to the sand fly vectors of leishmaniases, namely Lutzomyia longipalpis, the vector for Leishmania (Leishmania) infantum chagasi in the Americas. It has recently been demonstrated that AZA fed to L. longipalpis larvae blocks their metamorphosis in the second instar, in addition to causing a considerable mortality rate, depending on the dose applied (Andrade-Coelho et al. 2004). Given the neuroregulatory action of AZA, studies have increasingly focused on this compound’s effect on adult L. longipalpis in association with a sugar diet.

       Research is under way on sand fly specimens from the Laboratory of Leishmaniases Vectors at the Oswaldo Cruz Institute. Winged forms (batches of 30 females) were treated with doses of 0.01, 0.1, 1.0, and 10 mg of AZA (Sigma Co)/ml in ethanol-saline (1:4) for each ml of sugar solution. The batches treated with 1.0 and 10mg, only 18 females, performed oviposition in the 10st day after sugar solution (Fig. 2), with an individual mean of 23.5% of eggs laid, as compared to the control group, in which some 95% of the females laid an average of 41 eggs each (Fig. 3). In this experiment, a reduced hatching rate was also observed in the eggs in the batches treated. No apparent antifeedant effect was observed. 

These observations suggest that AZA can act effectively in sand fly population control. Future stages of the research will evaluate aspects of the Leishmania-invertebrate host interaction.

Palavras-chave:

1: Lutzomyia longipalpis

2: Azadirachtin

3: visceral leishmaniases

Apoio financeiro:

1: Fiocruz

2: CNPq

3: FAPERJ

Está inserido no PAPES 3? Não

Está inserido no PDTIS? Não

Está inserido no PDTSP? Não

Classificação do trabalho na Tabela de Áreas do Conhecimento do CNPq:

Grande Área: Ciências Biológicas    2.00.00.00-6

Área: Biologia Geral    2.01.00.00-0

Sub-Área:   

Especialidade:   

Estudo dos fatores reguladores da fibrose durante a cardiomiopatia chagásica experimental

Aluno: Cláudia Magalhães Calvet

Nome em cit. bibliográficas: CALVET, Cláudia M.

Vínculo Institucional: Tecnologista júnior

Tipo de Bolsa: Sem Bolsa

E-mail: claudiacalvet@

Curso: Doutorado em Biologia Parasitária

Ano de Ingresso: 2003

Orientador(a): Mirian Cláudia de Souza Pereira

Nome em cit. bibliográficas: PEREIRA, Mirian C. S.

Segundo(a) orientador(a): Tânia Cremonini de Araújo-Jorge

Nome em cit. bibliográficas: ARAÚJO-JORGE, Tânia C.

Pesquisador(a) Colaborador(a):

Nome em citações bibliográficas:

Área de Concentração:

Evento: IX Jornada Científica da Pós-Graduação

Resumo:

     A infecção pelo Trypanosoma cruzi é uma importante manifestação de cardiomiopatia na América Latina. Embora fibrose cardíaca seja evidenciada na cardiomiopatia chagásica, cardiomiócitos infectados pelo T. cruzi apresentam redução e/ou reorganização de componentes de matriz extracelular (MEC; Calvet e cols., 2003). Níveis elevados de TGF-β foram evidenciados na doença de Chagas (Waghabi e cols., 2002). No entanto, o papel do TGF-beta na regulação da expressão de MEC em cardiomiócitos infectados pelo T. cruzi ainda não foi elucidado.

     Para investigar o envolvimento do TGF-beta na modulação da expressão de MEC, culturas de cardiomiócitos normais e infectados pelo T. cruzi, cepa Y, foram tratadas com 5, 10 e 15 ng/ml de TGF-β. A distribuição de fibronectina (FN), laminina (LN) e do receptor de TGF-β do tipo II (TRII) foi revelada por imunofluorescência indireta e as amostras analisadas por microscopia de varredura confocal a laser.

     Nossos dados demonstraram que o tratamento com TGF-β induz aumento na expressão de FN em culturas de cardiomiócitos infectadas ou não pelo T. cruzi. No entanto, um remodelamento de FN não foi obtido em células altamente infectadas, onde a expressão deste componente de matriz extracelular permaneceu reduzida.  Em contraste, uma reorganização da matriz de LN em células altamente infectadas foi obtida após o tratamento com TGF-β, apresentando uma distribuição similar aos controles. A modulação de receptores de superfície tem sido evidenciada na infecção pelo T. cruzi, assim, investigamos a distribuição e expressão de TRII durante interação T. cruzi-cardiomiócitos. TRII encontra-se distribuído num padrão estriado e co-localizado com costâmeros em cardiomiócitos, sugerindo sua ativação em domínios subcelulares específicos. Entretanto, a infecção pelo T. cruzi causou uma redistribuição de TRII, gerando uma distribuição difusa de TRII em cardiomiócitos infectados. Amastigotas intracelulares apresentaram intenso sinal para TRII. O tratamento com TGF-β elicitou um aumento da freqüência de estriações de TRII em culturas não infectadas, mas não resultou em alterações na expressão de TRII nas células infectadas. 

Palavras-chave:

1: Trypanosoma cruzi

2: fibrose

3: cardiomiócito

Apoio financeiro:

1: Fiocruz

2: FAPERJ

3:

Está inserido no PAPES 3? Não

Está inserido no PDTIS? Não

Está inserido no PDTSP? Não

Classificação do trabalho na Tabela de Áreas do Conhecimento do CNPq:

Grande Área: Ciências Biológicas    2.00.00.00-6

Área: Biologia Geral    2.01.00.00-0

Sub-Área:   

Especialidade:   

Distribuição e expressão de junções comunicantes de cardiomiócitos em infecção in vitro por Trypanosoma cruzi

Aluno: Daniel Adesse Pedra Martins

Nome em cit. bibliográficas: ADESSE, Daniel

Vínculo Institucional: Bolsista

Tipo de Bolsa: Outra

E-mail: daniel.adesse@

Curso: Mestrado em Biologia Celular e Molecular

Ano de Ingresso: 2005

Orientador(a): Maria de Nazareth Meirelles

Nome em cit. bibliográficas: MEIRELLES, Maria N.

Segundo(a) orientador(a):

Nome em cit. bibliográficas:

Pesquisador(a) Colaborador(a):

Nome em citações bibliográficas:

Área de Concentração: Biologia Celular

Evento: IX Jornada Científica da Pós-Graduação

Resumo:

O tecido muscular cardíaco é composto por células excitáveis que apresentam, caracteristicamente, contratilidade autônoma e sincronizada.  Para isto, contam com um sistema de estruturas especializadas, dentre elas retículo sarcoplasmático, túbulos T, canais de Cálcio e junções comunicantes (Gap Junctions), que permitem a despolarização e repolarização de sua membrana plasmática repetidas vezes. Junções do tipo Gap (Gj) são especializações de membrana que formam canais entre duas células acopladas. Cada canal é formado por dois hemicanais (conexons), cada um cedido por uma célula do par sendo cada conexon, um hexâmero da proteína transmembrana conexina.Cardiopatias que apresentam em seu quadro clínico alterações eletrofisiológicas como arritmia, cardite ou fibrose, foram caracterizadas alterações na distribuição de placas de Gj pelo tecido afetado e na correta expressão de conexina 43, principal isoforma encontrada no tecido cardíaco.A cardiopatia chagásica, causada pela infecção do hospedeiro vertebrado pelo Trypanosoma cruzi, apresenta uma fase aguda, inicial, com alta parasitemia, infiltrados inflamatórios e alterações eletrocardiográficas. Na fase crônica, o quadro é de fibrose, miocardite e arritimia.O estudo in vitro da interação T. cruzi – célula hospedeira é de extrema importância para o maior entendimento, principalmente, da biologia celular da infecção e caracterizar os danos causados à célula hospedeira. Com isso, torna-se possível vislumbrar possíveis alternativas farmacológicas para o controle da infecção. O presente estudo propõe-se a estudar o comportamento das junções comunicantes durante a infecção in vitro de cardiomiócitos por T. cruzi. Resultados preliminares com imunocitoquímica ultraestrutural e imunofluorescência indicaram que há uma perda na marcação para conexina 43 em cardiomiócitos infectados, desde 24 horas até o fim do ciclo intracelular com 96 horas. Estudos posteriores serão realizados no intuito de esclarecer o comportamento das junções gap nos momentos iniciais da infecção e se há recuperação no padrão de distribuição da conexina 43 após o controle da infecção com o uso de substâncias conhecidamente tripanocidas.

Palavras-chave:

1: junções celulares

2: interação parasita-célula

3: biologia celular

Apoio financeiro:

1: CNPq

2: Fiocruz

3: FAPERJ

Está inserido no PAPES 3? Não

Está inserido no PDTIS? Não

Está inserido no PDTSP? Não

Classificação do trabalho na Tabela de Áreas do Conhecimento do CNPq:

Grande Área: Ciências Biológicas    2.00.00.00-6

Área: Biologia Geral    2.01.00.00-0

Sub-Área:   

Especialidade:   

Schistosoma mansoni Triose Phosphate Isomerase Peptide Induces Th1-Type Responses in Human Cells.

Aluno: Eliana A. G. Reis

Nome em cit. bibliográficas: REIS, Eliana A. G

Vínculo Institucional: Estudante de doutorado

Tipo de Bolsa: FIOCRUZ

E-mail: ereis@cpqgm.fiocruz.br

Curso: Doutorado em Biologia Celular e Molecular

Ano de Ingresso: 2002

Orientador(a): Mitermayer Galvão dos Reis

Nome em cit. bibliográficas: REIS, Mitermayer G.

Segundo(a) orientador(a): Donald Harn

Nome em cit. bibliográficas: HARN, Donald

Pesquisador(a) Colaborador(a): T. M. AZEVEDO , R. B. ATHANAZIO

Nome em citações bibliográficas: AZEVEDO, T. M. ; ATHANAZIO, R. B.

Área de Concentração: Imunologia e Biologia Celular

Evento: IX Jornada Científica da Pós-Graduação

Resumo:

We evaluated the responses of T cells that had been primed by co-culture with monocyte-derived dendritic cells (DCs) from healthy donors pulsed with the multiple antigen peptide (MAP4) containing B and T cell epitopes derived from S. mansoni Triose-Phosphate Isomerase (TPI). T-cell immune responses were evaluated by phenotype expression and cytokine production in primed cells and PBMC control on day 0. The major activated T cell population was CD4+ T lymphocytes expressing the surface markers CD25, CD39, HLA-DR, CD54 and CD45RO. CD80 costimulatory molecules were expressed in a smaller B cell population. Analysis of cytokine production from cells primed with MAP4 produced TNF-α and IFN-g (3 fold higher than cells primed with RPMI control while these cells did not detect IL-5 or IL-10. Additionally, PBMC primed with MAP4 produced IFN-g associated with up regulation of B7-1 costimulatory molecules on DC population, indicating that naive PBMC differentiated into Th1-type. Taken together, these results suggest that human PBMCs primed in vitro by DCs sensitized with MAP4 were able to induce Th1 phenotype CD4+ T cells.

Palavras-chave:

1: citocina

2: antigen

3: PIV

Apoio financeiro:

1: NIH

2: CNPq

3:

Está inserido no PAPES 3? Não

Está inserido no PDTIS? Não

Está inserido no PDTSP? Não

Classificação do trabalho na Tabela de Áreas do Conhecimento do CNPq:

Grande Área: Ciências Biológicas    2.00.00.00-6

Área: Biologia Geral    2.01.00.00-0

Sub-Área:   

Especialidade:   

BIOATIVIDADE DE Melia azedarch SOBRE O DESENVOLVIMENTO PÓS-EMBRIONÁRIO DE Musca domestica(Linneaus, 1758)

Bolsista: Esteban Roberto Ferreira Crescente

Nome em cit. bibliográficas: FERREIRA-CRESCENTE, Esteban R.

Orientador(a): Marise Maleck de Oliveira Cabral

Nome em cit. bibliográficas: OLIVEIRA-CABRAL, Marise M.

Coorientador(a): Vanderleia Cristina de Oliveira

Nome em cit. bibliográficas: OLIVEIRA, Vanderleia C.

E-mail: erfc8@

Unidade: IOC

Departamento: Biologia

Lab. / Núcleo: Biologia e Controle de Insetos Vetores

Evento: XIII Reunião Anual de Iniciação Científica

Resumo:

Musca domestica (Diptera: Muscidae) é uma espécie sinantrópica com hábito alimentar bastante diversificado, freqüentando lixo, carcaças de animais e fezes, portando grande importância médico-sanitária, como vetor mecânico e/ou biológico de diversos patógenos. Melia azedarach (Meliaceae) é uma árvore de grande porte originária da Ásia. encontrada nos E.U.A, Ilhas Bermudas, Índia, México, Peru, Argentina e Brasil. OBJETIVO: Afim de encontrar propriedades inseticidas em Melia azedarach buscamos neste estudo observar os efeitos dos princípios ativos desta planta em dípteros. METODOLOGIA: A colônia de Musca domestica foi estabelecida a partir de adultos coletados na cidade de Guapimirim (RJ). Da extração fitoquímica das sementes de M. azedarach obteve-se os extratos Acetato de Etila (AcoEt), metanólico (MeOH), hexânico (Hex) e hexânico fase metanólica (Hex:MeOH). Os extratos foram dissolvidos em acetona e diluído em NaCl 0,15 (1:4). Para a realização dos testes foram utilizadas massas de ovos (30mg) e larvas de 1o ínstar de M. domestica, que foram divididos em grupos teste e controle, mantidos em dieta a base de carne bovina 0,5 g/larva. TRATAMENTO TÓPICO: os extratos foram aplicados diretamente sobre as larvas na concentração de 100m g/m l e nas massas de ovos nas concentração de 200m g/m l. RESULTADOS e CONCLUSÕES: O extrato Hex:MeOH apresentou 44% de mortalidade sobre as larvas. A inibição da viabilidade total de M. domestica foi demonstrada nos extratos Hex (53%) e Hex:MeOH (63%). A atividade demonstrada pelos extratos Hex e Hex:MeOH de M. azedarach sobre M. domestica, corrobora com os descritos para Locusta migratoria e Culex pipiens. Quanto a duração do período pós-embrionário de M. domestica, apresentou alteração significativa para AcoEt, MeOH, Hex e Hex:MeOH no período pupal e com os extratos Hex e Hex:MeOH no período de neolarva-adulto. O peso das pupas ficou reduzido (p ................
................

Online Preview   Download